Como escolher uma boa Empresa de Segurança

EMPRESA DE SEGURANÇA

Empresas Especializadas de Segurança Privada

O sucesso de uma corporação depende do esforço de seus funcionários, da capacidade de fechar novas parcerias e de uma série de como escolher uma boa empresa de segurança outros fatores indispensáveis para o funcionamento de uma organização.

Um deles é a segurança. O cuidado com o patrimônio e com as pessoas que trabalham ou moram em um determinado local envolve uma série de processos e rotinas diárias que devem estar muito bem estruturados. Desta forma, é muito comum que, para a execução dessas tarefas, as organizações contratem empresas especializadas de segurança privada.

A terceirização dessa atividade permite o acesso aos serviços de profissionais especializados e bem treinados e com acesso a tecnologias modernas e eficientes. Além disso, os custos de contratação e treinamentos são reduzidos, dando a possibilidade para a instituição direcionar melhor os seus investimentos nos processos principais em que atua.

Se você quer conhecer como uma empresa de segurança deve ser selecionada e quais detalhes devem ser observados antes de fechar um contrato, leia o nosso texto de hoje!

A ESCOLHA DA EMPRESA DE SEGURANÇA

A expansão do mercado de segurança privado nos últimos anos aumentou o número de empresas disponíveis. A contratação de uma empresa de segurança privada não deve ser feita às pressas. É necessário avaliar bem a instituição prestadora de serviço, garantindo que os processos de segurança da organização estejam em boas mãos.

Alguns aspectos que devem ser considerados no momento da sua escolha:

HISTÓRICO DA EMPRESA E LOCALIZAÇÃO

Procure sempre trabalhar com empresas que estejam no mercado há longos períodos. Existe uma curva de aprendizado para alcance da excelência que deve ser considerado. Entenda o histórico da empresa, quem são os sócios e os valores que norteiam a empresa.

A localização também é algo importante. Procure verificar onde estão localizadas as bases operacionais da empresa e a distância de sua organização. Isso é um aspecto importante pois irá definir aspectos importantes da prestação de serviço, tais como velocidade de reposição de faltas e frequência/velocidade de atendimento dos supervisores.

CLIENTES

Sempre busque por boas referências. A melhor propaganda ainda é aquela feita por quem já contratou os serviços da empresa. Verifique o tempo em que a empresa presta serviços nos clientes em que atua, pois isso é um bom indicador de qualidade. Defina todas as informações relevantes e não tenha receio de perguntar a quem já utiliza os serviços de determinada empresa.

ASPECTOS LEGAIS

O segmento de segurança privado possui uma legislação bem específica cujos principais documentos a serem considerados é a Lei 7102/83 e a Portaria 3233/2012. Tal legislação estabelece que a Polícia Federal é o órgão público responsável por fiscalizar e controlar as atividades relacionadas a segurança privada.

Resumidamente ao se contratar serviços de segurança privada armada ou desarmada devem ser solicitados a empresa o Alvará de Autorização publicado no Diário Oficial da União, com validade anual, que garante que a organização cumpre os requisitos legais estabelecidos pela Policia Federal.

Os vigilantes da empresa, por outro lado, devem obrigatoriamente realizar cursos em academias especializadas devidamente registradas na Polícia Federal em que, além de treinamento específico, passam por testes psicológicos e são verificados documentos que garantem a idoneidade do profissional. A validade desses cursos é de 2 anos, devendo após esse período o vigilante realizar uma reciclagem garantindo que o funcionário continua apto a exercer a função.

A CNV (Certificado Nacional de Vigilante) é o documento emitido pela Policia Federal que certifica que o vigilante está em dia com as obrigações legais exigidas pela função. Ao exercer o trabalho, o vigilante deverá sempre portar esse documento.

ARMAMENTO

A legislação sobre o porte de armas impõe obrigações rigorosas para as empresas que trabalham com segurança privada. As armas devem estar registradas em um sistema controlado pela Policia Federal (SINARM) possuindo um número de registro no referido sistema.

Para que as armas possam se deslocar ao local de prestação de serviços deverá ser emitida uma Guia de Tráfego que é o documento exigido pela Policia Federal, garantindo a legalidade do armamento no posto de serviço.

EQUIPAMENTOS

Veículos oficiais para escolta, rádios profissionais, armamento moderno e bons equipamentos de treinamento são indispensáveis para a execução das atividades de segurança. Procure verificar os equipamentos utilizados pela empresa de segurança e dê preferência a aquelas que utilizam os itens de segurança mais modernos.

PLANEJAMENTO

Todas as atividades da equipe de segurança devem ser planejadas com antecedência e documentadas em um plano de segurança. Ele terá o registro das tarefas executadas, o número de vigilantes e como os sistemas de alarme serão utilizados.

Verifique sempre quais são os procedimentos de segurança adotados pela empresa em seus clientes, no que se refere principalmente a controle de acesso, planos de contingência, postura do funcionário e atendimento ao público. Certifique-se que a empresa tem a preocupação de formalizar por escrito esses procedimentos, facilitando o processo de treinamento e execução das atividades de seus funcionários.

Solicite também o plano de treinamento anual da empresa para seus funcionários, garantido a constante atualização dos conhecimentos dos mesmos.

CUSTOS

Solicite a planilha de custos aberta, identificando todos os custos com salários, encargos, benefícios, equipamentos, taxa administrativa, lucro e impostos. Verifique no sindicato da categoria de vigilantes quais são os salários e benefícios obrigatórios e verifique na planilha se tais itens estão sendo rigorosamente cumpridos. Desconfie da empresa se apresentar um custo muito mais baixo que os demais, pois isso pode ser uma indicação de que a empresa está deixando de contemplar alguns custos obrigatórios.

Procure entender também a escala de serviços proposta para os vigilantes e verifique a legalidade da mesma conforme CLT e Convenção Coletiva da categoria.

CERTIFICADOS E CERTIDÕES

É fundamental antes de contratar uma empresa de segurança verificar se a mesma está em dia com todas as suas obrigações legais e que se encontra em boas condições financeiras. Para isso, recomendamos que sejam solicitados no mínimo os seguintes documentos, sendo que a maioria pode ser consultada diretamente da Internet:

– Cartão de CNPJ da matriz e das filiais

– C.R.F – Certidão de Regularidade do FGTS vigente.

– Certidão Conjunta Negativa de Débitos Relativos às Contribuições Previdenciárias e as de Terceiros.

– Certidão Negativa de Falência e Concordata expedida pelo distribuidor da sede de pessoa jurídica.

– Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT) emitido pela Justiça do trabalho, nos termos da lei n12440/2012

Em alguns estados, como São Paulo, o contratante também pode solicitar documentos como o CRS (Certificado de Regularidade em Segurança) que é emitido pelo SESVESP (Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Segurança Eletrônica, Serviços de Escolta e Cursos de Formação do Estado de São Paulo).

Procure, também, sempre dar preferência por organizações que possuam certificados de qualidade como o ISO 9001:2000. Eles comprovam que a empresa possui rigorosos processos de treinamento e qualidade interna.

CERTIFICADO DE REGULARIDADE EM SEGURANÇA (CRS)

O Certificado de Regularidade em Segurança, ou simplesmente CRS, é um documento emitido pelo SESVESP, uma entidade que promove a integração e o fortalecimento das companhias de segurança. Ele trabalha com a melhoria das práticas dos profissionais da área, por meio de princípios éticos e morais elevados.

Para obter um CRS, a empresa de segurança precisa provar que segue rígidos padrões de funcionamento. Ele é cedido apenas para companhias que cumprem as suas obrigações sindicais patronais e que trabalham seguindo a legislação trabalhista.

Além disso, a organização que possui o CRS costuma apresentar preços dentro dos padrões do mercado e estão, obrigatoriamente, regularizadas junto aos órgãos federais, como o Departamento de Polícia Federal e o Ministério da Justiça.

Para a empresa contratante, o Certificado de Regularidade em Segurança é a garantia de que o serviço prestado será feito por profissionais treinados com um alto padrão de qualidade e por uma companhia de segurança bem capacitada.

A PROTEÇÃO DOS SEUS BENS MAIS IMPORTANTES

O mercado brasileiro de segurança privada tem apresentado boas taxas de crescimento nos últimos anos. A variedade de serviços e companhias existentes é tão grande que se estima que, em todo o mundo, exista o dobro de homens prontos para oferecer serviços de segurança quando comparados ao efetivo policial da nossa sociedade.

São mais de 20 milhões de profissionais prontos para garantir a sua segurança. Somente no Brasil, esse número já ultrapassou a marca de meio milhão de pessoas. Em todos os lugares, os agentes de segurança protegem condomínios residenciais, shoppings, eventos e até propriedades rurais como fazendas e sítios.

Em um mercado tão grande, alguns cuidados devem ser tomados na hora de escolher uma empresa de segurança. Além dos certificados e comprovantes de regularização, a companhia deve ter boas referências.

Assim, a escolha da sua empresa de segurança terá como alicerces a garantia de que o serviço será prestado por profissionais com sólida experiência e por uma companhia com um perfil de trabalho diferenciado.

 

Fonte: Renner Lourenço Oliveira (Gestor Especialista em Segurança Patrimonial)

Posts recomendados